Preparar o futuro

Foi a 20 de setembro de 2005, no Palácio Foz, em Lisboa, que realizámos pela terceira vez o Dia Nacional da Imprensa. Olhando hoje para o programa, para os temas e para os convidados, não posso deixar de salientar como fomos capazes de prever e preparar tanto o futuro. E de como os resultados são, hoje, para além das lembranças, tão importantes para continuar a encarar o futuro!

Em 2005, a gestão das assinaturas, a sua relação com a venda em banca, os possíveis problemas com a proteção de dados e os projetos de multiassinaturas foram os temas centrais da reunião de editores. A reunião dividiu-se em dois painéis: um para os jornais de distribuição nacional, para a imprensa especializada e para técnico-profissional; outro dedicado ao porte pago e a outras especificações da Imprensa Regional e Local. Profissionais e peritos de vários países campeões no processo de realização e gestão de assinaturas de publicações periódicas (sim, em papel!) estiveram em Lisboa para partilhar os seus conhecimentos e as suas experiências. Muito do êxito das assinaturas da Visão e da Sábado começou nesta sessão do Dia Nacional da Imprensa de 2005.

E agora, onde estamos? Acelerados no mundo digital, tentando não perder o lastro do papel e ganhar a batalha do digital? O New York Times acaba de anunciar um retumbante êxito no seu processo de assinaturas digitais e híbridas, ganha dinheiro, tem um modelo de negócios sólido e olha o futuro com confiança…. mas tudo partiu dos milhões de assinantes em papel que começou a angariar nos anos 60 do século passado.

Só em conjunto seremos capazes de assegurar a manutenção ou, mesmo, o crescimento das assinaturas em papel, ao mesmo tempo que implementamos processos comuns de assinaturas digitais. O Nónio é uma esperança. Um novo Portal da Imprensa pode ser também um passo.

A 9 de dezembro, em Coimbra, teremos o momento certo para explicar ao Governo, na pessoa do Secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, em que acreditamos e para onde queremos ir.

Foi em 2005, no Palácio Foz, em Lisboa, a 20 de Setembro, que realizámos pela terceira vez o Dia Nacional da Imprensa e, se olharmos para o Programa, os temas e os convidados, não posso deixar de considerar como fomos capazes de prever e preparar tanto o futuro e como os resultados são, hoje, para além das lembranças tão importantes para continuar a encarar o futuro!

Em 2005, a gestão das assinaturas, a sua relação com a venda em banca, os possíveis problemas com a proteção de dados e os projetos de multi assinaturas, foram o núcleo dessa reunião de editores divida em dois painéis, um para os jornais de distribuição nacional, para a imprensa especializada e técnico profissional, e outro painel tendo em consideração o Porte Pago e outras especificações da Imprensa Regional e Local.

Profissionais e peritos de vários países campeões no processo de realização e gestão de assinaturas de publicações periódicas, sim em papel, estiveram em Lisboa a partilhar os seus conhecimentos e experiências!

Muito do êxito das assinaturas da Visão e da Sábado começou nesta sessão do Dia Nacional da Imprensa de 2005.

E agora onde estamos, acelerados no mundo digital, tentando não perder o lastro do papel e ganhar a batalha do digital?

O New York Times acaba de anunciar um retumbante êxito no seu processo de assinaturas digitais e híbridas, ganha dinheiro, tem um modelo de negócios sólido e olha o futuro com confiança…. mas tudo partiu dos milhões de assinantes em papel que começou a angariar nos anos 60 do século passado.

Só em conjunto seremos capazes de assegurar a manutenção, mesmo o crescimento das assinaturas, em papel ao mesmo tempo que implementamos processos comuns de assinaturas digitais. O Nónio é uma esperança, um novo Portal da Imprensa pode ser também um passo.

A 9 de dezembro, em Coimbra, teremos o momento certo para explicar ao governo, na pessoa do Secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, em que acreditamos e para onde queremos ir.

Deixe um comentário